Colunas

467.000 Trabalhadores em SC terão direito ao saque do FGTS:

COLUNISTAS-PERFIL-LEONY-

Mais de 467 mil trabalhadores de SC terão direito ao saque de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que deve ser liberado a partir de fevereiro. A medida, anunciada no dia 22 de dezembro pelo governo federal para estimular a economia, pode liberar até R$ 1,8 bilhão para os catarinenses, já que no Estado há 884,3 mil contas inativas até 31 de dezembro de 2015. Os dados foram repassados pelo Ministério do Trabalho.

 

Conforme assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal, a sistemática de pagamento e o calendário serão divulgados no começo de fevereiro. A ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador.

Atualmente são 18,6 milhões de contas inativas há mais de um ano, com um saldo aproximado de R$ 41 bilhões.

 

As contas pertencem a 10,1 milhões.
Até agora, a regra estabelecia era que os trabalhadores com carteira assinada só podiam sacar até R$ 1 mil de contas inativas caso estivessem desempregados por pelo menos três anos ininterruptos. Contas inativas são aquelas contas do FGTS que não recebem mais depósito do empregador porque o trabalhador foi demitido ou saiu do emprego.

 

Com a mudança, o empregado poderá retirar todo o saldo, desde que tenha saído do emprego até 31 de dezembro de 2015. De acordo com o governo, 86% das contas inativas do FGTS têm saldo inferior a um salário mínimo, que na época do anúncio era de R$ 880.

 

Quem pode sacar

 

Trabalhadores que tenham uma conta inativa encerrada até 31/12/2015.

 

Quando você pode sacar


Como saber se você tem uma conta inativa

 

Pela internet = Para saber se tem uma conta inativa e qual seu saldo, o trabalhador pode consultar o site do FGTS. Para acessar o extrato, é preciso ter em mãos um número de identificação social (PIS/PASEP), encontrado na carteira de trabalho, e uma senha, chamada Senha Cidadão, que pode ser criada no momento do acesso. 

 

No extrato, são informados detalhamento os dados cadastrais e os lançamentos realizados na sua conta vinculada nos últimos 6 meses. Saldo e extrato das contas vinculadas — inclusive inativas — são informadas nessa página. Em uma agência da Caixa.  O trabalhador pode consultar seu saldo e também solicitar uma senha para acesso online em uma agência da Caixa. Para isso, é preciso levar um documento de identificação (carteira de identidade, carteira de habilitação, carteira de trabalho ou certidão civil) e o número de inscrição PIS/PASEP/NIT.

 

Pelo celular = Há aplicativos do FGTS disponíveis para os sistemas Android e iOS. Além de ser possível acessar o site via smartphone, o contribuinte pode optar por receber mensagens no celular com informações da conta do FGTS — assim abrindo mão da correspondência que recebe a cada dois meses com o extrato.

 

Por e-mail = O cidadão pode também optar por receber o extrato do FGTS pelo e-mail, informando a preferência no mesmo site em que consulta o extrato.

 

PIS PARA OS NASCIDOS EM JANEIRO/FEVEREIRO E PASEP FINAL 5 JÁ COMEÇOU A PAGAR:

 

Para os nascidos em janeiro/fevereiro do PIS e os possuidores do final 5 do PASEP já começaram a ser pagos o abono salarial ano base 2015 para quem trabalhou todo é de R$ 937,00 . Lembre-se que é os doze meses trabalhados em 2015.

 

MESES TRABALHADOS

CONVERSÃO

6

MEIO SALÁRIO

7

7/12 SALARIO

8

8/12 SALÁRIO

9

9/12 SALÁRIO

10

10/12 SALÁRIO

11

11/12 SALÁRIO

12

UM SALÁRIO

   

 

 

INFLAÇÃO FECHA ANO DE 2016 MELHOR QUE O ESPERADO:

 

Após fechar 2015 próximo dos 11% a inflação desacelerou em 2016 e o resultado foi o melhor esperado inclusive pelo FMI fechando o ano em 6,29%. Antes do impeachment de Dilma e o desdobramento da grise política a inflação variava de 7 a atingindo até 8,7% na previsão de abril de 2016 para o FMI.  O governo de Dilma porém projetava em fevereiro que o ano fecharia em 7,44%. Já em maio no início do governo Temer as projeções caíram para 7,00%. Vamos torcer que 2017 volte a baixar mais para que o País volte e ter um crescimento mais seguro com a geração de novos empregos.

 

POUPANÇA RENDEU MAIS QUE A INFLAÇÃO EM 2016:

 

A poupança rendeu 8,3% em 2016, enquanto a inflação oficial no ano foi de 6,29%, segundo dados do IBGE divulgados nesta quarta-feira (11). Isso significa que quem guardou suas economias na poupança ao longo do ano passado conseguiu cobrir a perda da inflação e ainda ficar com um dinheiro extra. Em 2015, a poupança havia rendido 8,15%, mas a inflação oficial no ano havia sido de 10,67%. Ou seja, o poupador perdeu poder de compra naquele ano.

 

Terceiro melhor investimento

 

O ganho real da poupança no ano passado (descontada a inflação*) foi de 1,9%. Com isso, ela fica atrás de outros dois investimentos. A Bovespa liderou, com ganho real de 30,72%, seguida da renda fixa representada pelo CDI, com alta de 7,25% acima da inflação. Os rendimentos dessas aplicações não consideram descontos de Imposto de Renda e taxas. 

 

Saques superaram depósitos

 

No ano passado, os saques da poupança superaram os depósitos em R$ 40,702 bilhões, no segundo pior resultado desde o início da pesquisa, em 1995. O resultado só foi melhor que o de 2015, quando a caderneta havia perdido R$ 53,568 bilhões.

 

As informações foram divulgadas pelo Banco Central na última quinta-feira (5).

A poupança perde recursos em meio à crise econômica, com expectativa de queda de 3,49% no PIB (Produto Interno Bruto) em 2016. O desemprego alto, com taxa de 11,9%, e as sucessivas quedas na renda vêm pressionando o orçamento dos brasileiros. Soma-se a isso o fato de os juros estarem altos, atraindo recursos para investimentos mais rentáveis.

 

MATERIAL ESCOLAR NÃO CUSTA NADA PESQUISAR:

 

Recente pesquisa realizada mostram uma variação de até 1.980% os preços de alguns itens do material escolar. Dentre eles se destaca com maior variação os lápis de cor e preto, chegando a uma diferença de quase 2.000%. Portanto vai uma dica, gastar um pouquinho a sola do sapato vale a pena.

 

SER O PIADISTA DA EMPRESA E BOM OU RUIM!

 

Na hora do almoço ou no cantinho do café é ao seu redor que os colegas ficam às gargalhadas? Saiba que isso pode fazer com que você ganhe pontos no mundo corporativo. Um novo estudo, feito em conjunto pela Wharton School e Harvard Business School, afirma que fazer piadas faz com que o funcionário pareça mais confiante e competente. Mas não é qualquer brincadeira que gera esse efeito.

 

 Segundo os pesquisadores, dar um tom bem-humorado nas horas corretas pode conquistar colegas. Em um dos experimentos, 300 participantes analisaram as respostas de uma entrevista de emprego hipotética, em que o candidato respondeu diretamente ou tentou fazer alguma piada. Quando a piada faz efeito – ou seja, quando o chefe riu – o candidato foi visto de uma maneira melhor e saiu em vantagem em relação a algum outro que só conseguiu silêncio do interlocutor.

 

Piadas impróprias, com teor escatológico ou sexista, ainda que arrancassem alguns sorrisos mantiveram o candidato em um status mais baixo que o de outros que usaram humor menos polêmico, de acordo com a publicação no Journal of Personality and Social Psychology.

 

Em conclusão, colocar o humor no dia-a-dia do escritório denota coragem e fazer rir é visto como um sinal de competência. Para os pesquisadores, o segredo do sucesso é que sua piada seja percebida como benéfica por todos os colegas, sem mal-entendido ou confusão. 

 

 

Relatório Focus:

 

RELATÓRIO ” FOCUS ” 13.01.2017

         

EXPECTATIVAS DE MERCADO

PROJEÇÃO 2017

 

PROJEÇÃO 2018

 

MEDIANA AGREGADO =

Há 4 semana

Há 1 semana

Hoje

Há 4 semana

Há 1 semana

Hoje

IPCA %

4,90

4,81

4,80

4,50

4,50

4,50

EGP-DI %

5,13

5,15

5,22

4,90

5,00

4,90

IGP-M %

5,07

5,21

5,35

4,82

4,85

4,80

IPC-Fipe %

5,59

5,19

5,12

4,75

4,50

4,65

Câmbio fim de período

3,49

3,45

3,40

3,50

3,50

3,50

Câmbio média do período

3,42

3,39

3,36

3,49

3,46

3,45

Meta Selic – fim período % a.a.

10,50

10,25

9,75

9,88

9,63

9,50

Meta Selic – média do período %a.a.

11,63

11,53

11,08

10,00

9,80

9,70

Divida setor público

50,75

50,67

50,82

55,35

54,30

54,75

PIB % de crescimento

0,58

0,50

0,50

2,30

2,30

2,20

Produção Industrial % de crescimento

0,75

1,00

1,00

2,10

2,10

2,10

 

 

 

POLÍTICA MONETÁRIA – O Copom decidiu, por unanimidade, reduzir a taxa Selic em 75 p.b. para 13,00%, um movimento mais ousado do que o corte de 50 pb. esperado pela maior parte do mercado. O ajuste mais forte deveu-se ao cenário de desinflação generalizada e atividade aquém do esperado, com expectativas de inflação ancoradas. Continuam em consenso para uma taxa Selic ao final de 2017 e 2018, em 9,25% e 8,50%, respectivamente.       

 

 

Leonyr Jacomel

Deixe seu comentário

Comentário